Vacina e Maconha, fumar atrapalha na imunização?


Arte: Dichavando a RD

Salve maconheiros, maconheiras e simpatizantes, tudo tranquilo? Felizmente (e a despeito do governo federal), a vacinação no nosso país está avançando. Com isso, surge uma dúvida, será que fumar a erva pode atrapalhar de alguma forma no processo de imunização?


A resposta mais simples e direta pra isso é que não há um consenso, porém podemos fazer algumas ponderações que podem ajudar na escolha de usar ou não a verdinha durante esse período. Inúmeros estudos já confirmaram a capacidade imunossupressora da maconha, em especial do Canabidiol (CBD). De forma simples, capacidade imunossupressora é a capacidade de diminuir/atenuar a atividade do sistema imune, que é o sistema responsável pela defesa do nosso corpo.



Imagem: Brasil Escola

O sistema imune é o responsável por combater os agentes infecciosos que atacam nosso organismo, sejam eles vírus, bactérias ou até parasitas. Quando nosso sistema imune é ativado, dois tipos de respostas imunes acontecem no nosso corpo, a resposta inata e a adquirida. Bem resumidamente, a resposta inata é menos específica, agindo sob qualquer tipo de antígeno, e acontece entre 0 a 12 horas após uma infecção. Já a resposta adquirida é composta por células de defesa mais especializadas (linfócitos e anticorpos, por exemplo) e, pensando em vacinação, é responsável pela formação dos anticorpos contra o coronavírus. Quando nos vacinamos, inserimos no nosso corpo uma parte do agente infeccioso (no caso das vacinas de RNA - Pfizer) ou o agente infeccioso bem fraco (no caso das vacinas de vírus atenuado - Coronavac).



Imagem: Exame

A ideia das duas é basicamente a mesma, ativar nosso sistema imune para que ele desenvolva células de defesa especializadas e específicas para aquela doença (os famosos anticorpos). Dito isso, e considerando que a cannabis tem capacidade imunossupressora (diminuir a atividade do sistema imune), podemos imaginar que de alguma forma ela possa alterar na imunidade adquirida pela vacina. É importantíssimo mencionar que: existem pouquíssimos estudos que abordem a eficácia de vacinas versus o uso de maconha em humanos (do meu conhecimento só existe um). Porém, existem estudos em ratinhos que demonstram a diminuição da eficácia da resposta imune adquirida quando há a presença de canabinóides.



Imagem: B9

Por fim, se me perguntassem “Lucas, você acha que devo parar de fumar pra me vacinar?”, eu responderia: estamos em pandemia tem quase dois anos, infelizmente, e a tão sonhada vacinação está bem próxima. Considerando isto e que há uma remota/pequena possibilidade do uso de maconha interferir na imunidade da vacina, dá uma pausa no uso antes e depois de se vacinar! Se você é um usuário frequente, pare durante uma semaninha, pode te ajudar e mal não vai te fazer. Importantíssimo dizer que essa minha fala se aplica às pessoas que fazem uso adulto da maconha. Para as pessoas que fazem uso medicinal, consulte seu médico(a) para esclarecer essas dúvidas!


Texto por: Lucas de Oliveira Pereira Ribeiro

Biomédico formado pela Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre - UFCSPA

Doutorando no PPG de Biologia Celular e Molecular pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS


Referências:

Cannabis sativa e imunossupressão:

https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/33585159/

https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/32380847/

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8199938/

Cannabis, vacinação e resposta imune adquirida:

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7352399/

https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/28209996/

https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29340893/




1,812 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo